Disciplinas de Cursos Superiores

Análises das matérias de cursos superiores escritas por estudantes universitários e graduados das universidades: USP, UFMG, UNIP, UERJ, UFJF, UFOP, UNIFESP, Unigranrio, PUC-SP, UFSC, Fatec-SP, UFABC, UFF, UFPI, ULBRA, entre outras.


Faculdade de Química e a disciplina: Química Orgânica



Essa disciplina trata-se de uma obrigatória no curso de química, e serve de pré-requisito para três disciplinas também obrigatórias de períodos subsequentes, sendo essas: Orgânica 2, Reações e sínteses e Bioquímica. Por ser responsável de demonstrar o mecanismo para a formação de diversos compostos e os meios para identificação de seus grupos funcionais essa disciplina não é exclusiva para o curso de Química, sendo encontrada também em graduações de farmácia e biomedicina, de modo que sejam lecionadas para adequar-se as necessidades de cada curso.

Aulas práticas

As aulas práticas relacionadas a esta disciplina requerem um pouco mais de conhecimento e prática laboratorial já que consiste em um laboratório mais complexo e rico em vidrarias delicadas e reagentes tóxicos, sendo assim necessário algum conhecimento prévio de segurança laboratorial para que sejam manipulados.

Outro aspecto relevante quanto as aulas prática, é uma maior necessidade do uso de EPI’s em comparação com os laboratórios das disciplinas relacionadas a inorgânica. Isso dar-se pela volatilidade e reatividade dos materiais manipulados, que muitas vezes tornam necessário o uso de mascara de proteção, bem como o uso da capela que se torna indispensável em quase todos os experimentos.

O uso de óculos de segurança e luvas adequadas também é bem relevante, já que a maioria das sínteses (principal experimento realizado) ocorre sob aquecimento, podendo causar projeções.

Opondo-se as aulas práticas de inorgânica, em que é possível abordar a grande parte dos assuntos tratados na disciplina teórica dentro do laboratório, no laboratório de orgânica não é possível abordar todos os temas tratados, uma vez que os ensaios demandam mais tempo do que aquele que é disponibilizado para as aulas.

Aulas teóricas

Eu usei como referência bibliográfica durante as aulas teóricas o livro de Química Orgânica do Solomons, que se divide em dois volumes, o primeiro abrange química orgânica 1 e o segundo química orgânica 2, porém recomendo que, caso exista a intenção de adquirir um livro para consulta desse tema futuramente em sua residência, adquira o do autor Vollart, pois possui o material todo em apenas um livro. Ambos apresentam uma linguagem fácil e exercícios bem fundamentados para auxiliar na aprendizagem.

É uma disciplina de suma importância para o curso, já que um profissional da química, mesmo que não tenha afinidade por todas as áreas (é um curso bem abrangente) deve ter conhecimento mínimo sobre cada uma delas. Porém é também uma disciplina que é exige muita dedicação, pois seu conteúdo é extenso e detalhado.

Quando eu cursei essa matéria, em um primeiro momento tivemos uma revisão do conteúdo tratado no ensino médio, que consistiu em um breve histórico da química orgânica, identificação de grupos funcionais, propriedades físicas dos compostos orgânicos nomenclatura, diferenciação de cadeias carbônicas (abertas ou fechadas), hibridização e ressonância. Em um segundo momento tratou-se os mecanismos de reação, sendo que uma das maiores dificuldades apresentadas foi à similaridade entre eles, variando-se apenas pequenos detalhes que exigiam muita atenção.

É importante que aproveite-se muito os conhecimentos oferecidos nessa disciplina para que nos próximos semestre não existam maiores dificuldades e sejam possível manter um bom rendimento acadêmico.

Débora Souza, graduanda em Química Tecnológica pelo CEFET-MG



Veja também:

CURSOS NAS ÁREAS:

  • Exatas
  • Humanas
  • Biológicas

© 2016-2017   |   faculdades.inf.br   |   Em Jesus Cristo nós confiamos