Disciplinas de Cursos Superiores

Análises das matérias de cursos superiores escritas por estudantes universitários e graduados das universidades: USP, UFMG, UNIP, UERJ, UFJF, UFOP, UNIFESP, Unigranrio, PUC-SP, UFSC, Fatec-SP, UFABC, UFF, UFPI, ULBRA, entre outras.


Faculdade de Veterinária: Doenças Infecciosas



Essa foi uma das disciplinas mais extensas, em termos de conteúdo, que eu cursei na faculdade de veterinária. Isso por que também estudamos sobre o tema em outras disciplinas, como Doenças Parasitárias, Zoonoses, Ornitopatologia, Anatomia Patológica, entre outras.

Os professores cobravam muito os nomes científicos dos agentes causadores de doenças, derivados do grego e do latim. Não satisfeitos, muitas vezes também cobravam toda a Taxonomia de Lineu: Ramo, Filo, Classe, Ordem, Família, Gênero e espécie. É muita coisa para decorar.

Além de muitas outras informações específicas de casa doença, como o nome da doença, os sinônimos, formas de contaminação, diagnóstico, tratamento etc.

Por isso é importante não perder as aulas e ser muito organizado, não deixando para estudar só na véspera das provas. Fazer resumos das aulas ajuda muito, por que na hora de decorar você ainda vai se lembrar de muitas coisas. Faça mapas mentais, planilhas ou relacione a alguma coisa que você conheça bem para te ajudar a não esquecer.

Segue um resumo do que é ensinado no curso.

1 Conceitos e definições

As doenças infecciosas, ou transmissíveis, são aquelas causadas por agentes patogênicos (infecciosos, como vírus, bactérias e protozoários) quando em contato com um hospedeiro (animais, incluindo o homem) suscetível.

Dentre as doenças infecciosas estão as zoonoses, que podem acometer tanto os animais quanto o homem.

Quando falamos de hospedeiro, nos referimos ao indivíduo contaminado pelo agente infeccioso. Este pode desenvolver a doença ou não e, por isso, pode ser denominado:

– Hospedeiro definitivo: É a espécie suscetível, que sem ela não haveria a doença. É onde o agente infeccioso completa o seu ciclo de vida.

– Hospedeiro intermediário: É um indivíduo onde o agente passa parte do seu ciclo, mas não o completa. Serve como uma ponte entre o agente e o hospedeiro definitivo e não desenvolve a doença, se comportando como um vetor (como o mosquito no caso da Leishmaniose ou Anemia Infecciosa Equina).

– Reservatório: É o indivíduo que armazena o agente e o mantém na natureza. Mas não desenvolve a doença e nem o agente completa seu ciclo de vida.

2 Metodologia de estudo

No estudo de cada doença e seu agente causador, são discutidos os seguintes tópicos:

Nomenclatura: Nome da doença. Exemplo: Brucelose.

Sinonímia: Febre de Malta ou Febre Ondulante.

Conceito: Descrição resumida da doença.

Histórico: Informações da origem e evolução das doenças, importantes no estudo epidemiológico.

Etiologia: a origem, o agente causador.

Características do agente: estrutura, suscetibilidade, resistência etc.

Epidemiologia. Envolve:

Espécies afetadas: Quais animais são afetados, incluindo o homem.

Distribuição geográfica: Em que regiões ocorre.

Sazonalidade: Em que período do ano costuma acontecer com mais frequência.

Reservatório: Quais são

Taxas de morbidade, mortalidade e letalidade

Fonte de infecção

Via de infecção

. Patogenia: É a forma como a doença se manifesta no organismo, quais as lesões e os órgãos ou sistemas afetados.

. Sintomas(clínica): São as manifestações, que podem ser comuns a várias doenças. Exemplo: Febre, diarreia, prurido etc.

. Prognóstico: Favorável, reservado ou desfavorável.

. Diagnóstico: Que pode ser Clínico, Laboratorial e Antomopatológico (achados de Necropsia e histopatológicos).

. Tratamento: Procedimentos e medicamentos que podem agir desde paliativos até promover a cura, dependendo do diagnóstico.

. Profilaxia: São as formas de prevenção da doença, para que evitar que ela ocorra e que não se dissemine.

3 Exemplos de Doenças Infecciosas

– Doenças infecciosas causadas por bactérias

  • Actinomicose
  • Anaplasmose
  • Botulismo
  • Brucelose
  • Carbúnculo sintomático
  • Colibacilose
  • Enterotoxemia
  • Garrotilho
  • Leptospirose
  • Linfoadenite caseosa
  • Listeriose
  • Mamite ou mastite
  • Moxarela – queratoconjuntivite infecciosa dos ovinos
  • Pasteurelose
  • Pleuropneumonia do suíno
  • Rinite atrófica do suíno
  • Ruiva
  • Salmonelose
  • Tétano
  • Tuberculose

– Doenças infecciosas causadas por virus

  • Anemia infecciosa equina (AIE)
  • Cinomose
  • Coronavirus
  • Doença de aujesky
  • Encefalomielite equina – eme
  • Febre aftosa (doença vesicular)
  • Hepatite infecciosa canina (HIC)
  • Influenza equino
  • Influenza suíno
  • Leucoses
  • Panleucopenia felina
  • Papilomatose
  • Parvovirose
  • Peste suína clássisa (PSC) – doença vermelha dos suínos
  • Raiva
  • Rinopneumonia equina
  • Rinotraqueite bovina

– Doenças infecciosas causadas por príons

Os príons são os menores agentes causadores de doenças. Sua estrutura nem apresenta uma célula completa, apenas proteínas.

  • Encefalite Espongiforme Bovina (Doença da Vaca Louca)
  • Scrapie (Encefalopatia Espongiforme em Ovinos e Caprinos)

Obs: As doenças infecciosas causadas por Protozoários são estudas em detalhes na disciplina de zoonoses.

4 Conclusão

Essa disciplina é de extrema importância para a nossa vivência profissional.

Mas a vida prática é muito diferente da teórica. Não há necessidade de manter tudo decorado, da forma como é cobrada pelos professores. Até por que ninguém consegue. Sempre haverá material de consulta disponível em caso de dúvidas (computador, livros etc).

Na rotina do dia-a-dia acabamos por fixar as doenças mais frequentes e para as demais a vida do médico veterinário é de constante estudo e atualização.

Ana Carolina Braga. Graduada em Medicina Veterinária pela Universidade Federal Fluminense. Facebook: https://www.facebook.com/anacarolinabbraga



 

Veja também:

CURSOS NAS ÁREAS:

  • Exatas
  • Humanas
  • Biológicas

© 2016-2017   |   faculdades.inf.br   |   Em Jesus Cristo nós confiamos