Disciplinas de Cursos Superiores

Análises das matérias de cursos superiores escritas por estudantes universitários e graduados das universidades: USP, UFMG, UNIP, UERJ, UFJF, UFOP, UNIFESP, Unigranrio, PUC-SP, UFSC, Fatec-SP, UFABC, UFF, UFPI, ULBRA, entre outras.


Faculdade de Psicologia: Educacão Inclusiva



Ao falar sobre inclusão temos que pensar em vários pontos de vista, e analisarmos as reais necessidades da inclusão e o fim de cada uma delas.

Alguns anos atrás não existiam transportes adaptados, lugares públicos, e outros, todos viviam felizes, mais uma parcela da população tinha dificuldades em estarem nestes lugares pela falta de acesso.

Acessibilidade

O ponto que podemos analisar e o acesso será que todos os lugares são acessíveis, aqueles que têm dificuldades, sejam eles quais forem, mentais, motoras ou outras? Será que eu como participante desta sociedade estou preocupado com o a acessibilidade dos outros aos lugares onde estou indo, ou simplesmente sendo acessível pra mim é o que importa?

A mudança ocorre quando eu e você pensamos em deixar as coisas acessíveis a quem tem dificuldade de acesso. A realidade em que vivemos hoje nos promove muitas coisas boas, importantes, que nos fazem crescer, nos desenvolvermos como pessoal, profissional, mais será que isso pode ser acessível a outros, qual o passo que precisamos dar? A realidade pode ser muito diferente se disponibilizarmos o acesso devido a quem precisa, assim crescerá junto.

O que falar sobre a pessoa que está sendo incluída no contexto onde antes ela não era? É de suma importância, porque ela vai se sentir importante e que tem um espaço reservado pra ela naquela sociedade, ele se vê fazendo parte não mais da minoria, porque não existirá mais a minoria em função da inclusão.

Inclusão x Problemas e Soluções

Agora se começarmos a fazer um analise do que ocorre na mente da pessoal inclusa, veremos que aquilo de melhor dela irá se aflorar, e poderemos ter muitas surpresas. Um dos que vamos listar é Beethoven depois de uma carreira brilhante começa a ter surdes progressiva chegando ao ponto de desejar sua morte, aos 46 ficou 100% surdo, mais mesmo assim deu a volta por cima e compôs mais 44 obras musicais, sendo elas mundialmente conhecidas pela sua profundidade. Agora imagine você, não apoia a inclusão, acessibilidade de todos e do nada acontece algum acidente que o fará ser dependente de outras pessoas, ou que o faça precisar ser incluído em uma sociedade, que facilite a sua locomoção para os lugares onde antes você andava sem problema nenhum? Difícil contextualizar quando não nos inserirmos neste mundo. Em um momento de minha vida, mesmo não tendo deficiência nenhuma me senti incluído, quando participei do congresso de surdos e mudos, me senti deficiente e não conseguia conversar com ninguém, mais eles vendo esta minha falta de habilidade me incluíram no grupo e me capacitaram pra que eu os compreendesse, por fim aprendi muitas coisas importantes pra guiar um deles até em casa.

Se falarmos de qualquer contexto, seja ela empresarial, estudantil, social, iremos nos deparar com os mesmos desafios, de que forma eu como individuo poderei incluir esta pessoal no meio onde vivo? Como poderei capacitá-lo pra que ele esteja no mesmo patamar que eu estou? Como auxiliá-lo pra que haja compreensão de ambas as partes?

Para haver inclusão precisamos pensar nos seguintes tópicos:

Iniciativa: Precisamos ter a iniciativa de incluir a pessoa em nosso meio, compreendendo as dificuldades que ela tem e buscando facilitar o acesso as coisas dentro da sua realidade. Se a pessoa é surda e muda, buscar conhecimento pra se comunicar com ela, entrando no mundo que ela vive, se a pessoa é um cadeirante, procurar auxiliá-lo no que for necessário e promovendo a ele recursos pra que sua deficiência não lhe seja um impedimento pra fazer as coisas.

Capacitação: Seguindo o exemplo que cite acima sobre o congresso de surdos e mudos, que me capacitaram a compreender a linguagem de Libras, vi que quando há um engajamento de todos em buscar capacitar, auxiliar ou ajudar àquele que dele depende, futuramente à capacitação vai promover, independência, com isso ele estará habilitado a fazer coisas que antes não fazia. Se tivermos em mente que a capacitação faz parte da inclusão, teremos uma ótica diferente para com aqueles que precisam ser incluídos.

Compreensão: A partir do momento que incluo, capacito a pessoa a entender e se contextualizar dentro do ambiente onde ela se encontrar, passo de forma efetiva a compreender melhor as suas necessidades, sonhos, projetos, ideais, vontades e assim o incluso não se sentirá um excluído, mais sim incluído dentro de qualquer espaço e ambiente.

Que eu e você possamos ter esta percepção se houver necessidade, será necessário incluir a pessoa, mais tendo sempre em vista que deverá haver a sua iniciativa, desejo que contextualizar a pessoa dentro do meio onde ela se encontra e promover a compreensão entre todos. Desta forma o passo de incluirmos será cada vez mais facilitado para todos.

Quando estudado sobre este assunto, comecei a ver com uma perspectiva diferente e compreender que a inclusão se faz necessário para que possamos saber como viver incluindo nos demais meios, a inclusão na educação no meio entendimento motiva aos alunos compreenderem como ser incluídos e incluírem. Afinal de contas, quem nunca precisou ser incluído, então se eu pensar desta forma, não teria nenhuma dificuldade em incluir nas demais áreas. Hoje sem a inclusão, teríamos grandes dificuldades e problemas sociais, mais ainda precisamos galgar novos horizontes, tecnologias, e além disso nos capacitar para incluir.

Thiago Luiz Américo, Unasp



 

Veja também:

CURSOS NAS ÁREAS:

  • Exatas
  • Humanas
  • Biológicas

© 2016-2017   |   faculdades.inf.br   |   Em Jesus Cristo nós confiamos