Disciplinas de Cursos Superiores

Análises das matérias de cursos superiores escritas por estudantes universitários e graduados das universidades: USP, UFMG, UNIP, UERJ, UFJF, UFOP, UNIFESP, Unigranrio, PUC-SP, UFSC, Fatec-SP, UFABC, UFF, UFPI, ULBRA, entre outras.


Faculdade de Radiologia: Radiologia Convencional



A disciplina de radiologia convencional pode dividir-se em duas partes diferentes ou até em duas matérias diferentes tratando da ementa de cada universidade. A primeira parte, ou a disciplina original de radiologia convencional trata dos equipamentos de raios-X, suas gerações, evolução histórica, citando aqueles que iniciaram os trabalhos, como os físicos Wilhelm Conrad Roentgen que descobriu os raios-X a partir de experimentos e Marie Curie, prêmio Nobel de física e química. A segunda parte que também pode aparecer em uma matéria autônoma que recebe o nome de processamento de filmes de radiologia convencional.

Qual o nível de dedicação e dificuldade da matéria?

Essa pergunta tem duas respostas possíveis, quando a matéria não se divide, ambas são de dedicação e dificuldade intermediárias, já que ambas tratam de objetos teóricos, principalmente radiologia convencional, processamento de filmes convencionais trata de questões mais práticas, que explicitarei ainda neste artigo. Quando as disciplinas unem-se em radiologia convencional a dedicação e a dificuldade tornam-se altas pela grande carga bibliográfica e de análises que precisam ser realizadas, o professor precisa andar mais depressa com a matéria, então o aluno é forçado a dedicar-se a pesquisar de forma autônoma diversas análises, principalmente no Google acadêmico que traz diversos artigos e estudos realizados na área.

Da divisão da matéria: Radiologia convencional na perspectiva histórica

A primeira parte da disciplina traz em perspectiva histórica, desde o descobrimento por Roentgen dos raios-X, até seu desenvolvimento e os trabalhos diversos feitos posteriormente, chegando até a radiologia digital que forma conteúdo de outra matéria. Nesta parte conhecemos principalmente os nomes que trabalharemos em diversas outras matérias, como Marie Curie e Roentgen que, apenas para elucidar, serão utilizados, por exemplo, em física das radiações, proteção radiológica e qualquer outra matéria que trate direta ou indiretamente com aspectos da disciplina de física e/ou química. É uma parte mais teórica da disciplina, onde todos os testes e avaliações remetem a citações de textos, pesquisas metodológicas, entre outros métodos. A bibliografia dessa primeira parte consiste basicamente em artigos e análise de estudos metodológicos de autores diversos, é uma parte extensa e esses conhecimentos serão utilizados em todo o roteiro da universidade.

A segunda parte da matéria: Processamento de filmes radiológicos

Nesta parte o discente tem como desafio compreender as técnicas de processamento de imagens e suas características, é necessário compreender a estudar as características diversas que as imagens radiológicas podem ter, a depender da estrutura estudada e dos tipos patológicos que podem aparecer nestes exames, sabendo também que por muitas vezes precisamos realiza-los mais de uma vez por diversos motivos, como por exemplo a redução de ruídos, a forma correta de armazenamento dos filmes radiológicos, quais são os chassis existentes, como carrega-los com os filmes radiológicos, como posicionar esses filmes para sua revelação, quando tiramos do chassis, colocando os na maquina de processamento convencional e as identificando após sua saída com a etiqueta. Esse processo, inclusive é muito treinado nas universidades que possuem a maquina de revelação de Raios-X, pois, no estágio a primeira coisa que o estagiário faz é revelação de filmes, pelo menos 3 dias o estagiário faz quase que exclusivamente isso, depois ele começa a acompanhar os exames radiológicos. É necessário compreender todo o processo envolvido, a qualidade, os fatores que influenciam a qualidade, chegando até a radiologia digital que será estudada em outra matéria.

Conclusão

A matéria de radiologia convencional coloca-se normalmente no segundo semestre ou quadrimestre, a depender da universidade e contempla uma parte teórica e outra parte que une teoria e prática, ambas serão utilizadas especialmente no estágio supervisionado, no que contempla a revelação de filmes e nas matérias diversas que envolvem física e química ao que se refere a parte de radiologia convencional da perspectiva histórica e desenvolvimento. Não tive grandes dificuldades, na realidade foi uma das minhas matérias favoritas, pois, tive bons professores que sabiam facilitar o aprendizado e possibilitaram grande evolução.

Guilherme Reis, graduado em 2013 em tenologia em radiologia pela universidade Anhanguera.



 

Veja também:

CURSOS NAS ÁREAS:

  • Exatas
  • Humanas
  • Biológicas

© 2016-2017   |   faculdades.inf.br   |   Em Jesus Cristo nós confiamos