Disciplinas de Cursos Superiores

Análises das matérias de cursos superiores escritas por estudantes universitários e graduados das universidades: USP, UFMG, UNIP, UERJ, UFJF, UFOP, UNIFESP, Unigranrio, PUC-SP, UFSC, Fatec-SP, UFABC, UFF, UFPI, ULBRA, entre outras.


Curso Superior de Ciências Biológicas: Morfologia vegetal



A disciplina de morfologia vegetal, conhecida por Anatomia vegetal, faz parte da grade curricular do curso de Ciências Biológicas da Universidade Federal de São João Del Rei – UFSJ. A disciplina faz parte do núcleo comum das matérias de licenciatura e bacharelado. É de caráter obrigatório, possui carga horária total de 36 horas de aulas teóricas. É oferecida anualmente, no turno da noite, onde as turmas de bacharelado e licenciatura se unem em uma única turma.

Os estudos são iniciados com a caracterização estrutural da célula vegetal, os tipos de tecidos e órgãos das plantas, posteriormente são vistos sobre os gametófitos, e organização dos tecidos na planta.

O que é?

A Anatomia vegetal é uma disciplina do curso de Ciências Biológicas, da área de botânica, destinada ao estudo das estruturas vegetais, onde são vistos sobre como ocorrem, onde e os processos envolvidos na organização e disposição dos tecidos na planta, e a caracterização estrutural da célula vegetal. De modo geral, ela trata de temas que se relacionam à morfologia externa e principalmente interna dos vegetais.

O que se estuda nesta matéria?

A Anatomia vegetal é a disciplina da Biologia que estuda sobre as estruturas das plantas, onde são estudados sobre como ocorrem, onde e os processos envolvidos na organização e disposição dos tecidos na planta, a caracterização estrutural da célula vegeta, a histologia das plantas vasculares com sementes (gimnospermas e angiospermas): meristemas, parênquimas, tecidos de sustentação, tecidos de revestimento, tecidos de condução e estruturas secretoras, a estruturação dos órgãos vegetais: raiz, caule, folha, flor, fruto e semente, a estrutura dos gametófitos: feminino tipologia do saco embrionário.

Microsporângio, microsporogênese e gametófito masculino, a embriogênese da plantas. Também é visto sobre as aplicações tecnológicas de manipulação genéticas que conferem alterações a nível anatômico das plantas, os processos envolvidos nas análises qualitativas. Sobre as aplicações da anatomia vegetal, a importância do conhecimento sobre a anatomia das plantas e os principais avanços e estudos da área. Ela tem grande potencial para estudos ecológicos e econômicos, bem como outras áreas tanto da botânica ou de outra ciência. A anatomia da planta por vezes indica a situação ambiental, e dessa forma ela pode ser utilizada como um bioindicador.

Como são as aulas?

As aulas são expositivas, são abordados diversos assuntos sobre as plantas, em seus diferentes níveis estruturais, é visto também sobre aplicações nessa área, ressaltando casos de grande importância econômica e ambiental. Há bastante abertura para participação dos alunos, para tirar dúvidas, discutir a respeito dos assuntos abordados, ou qualquer outra coisa que tenha a ver com a aula.

No final do semestre, costumam ter apresentações de seminários, com regras definidas pelo professor, sobre temas relacionados com a disciplina a fim de aprofundar mais sobre alguns assuntos que não dão tempo de ver ao longo do curso, bem como também com a finalidade de abrangi um maior conhecimento.

Quais as dificuldades que encontrei no estudo de Anatomia Vegetal?

As principais dificuldades foram em relação aos estudos anatômicos das partes internas microscópicas das plantas, visto que é algo que não estamos habituados no dia a dia, torna-se difícil fazer as associações dos termos usados, ou mesmo das imagens representativas, com a realidade. Outra dificuldade foi em relação aos vários processos envolvidos em cada etapa, como eles ocorrem e quando ocorrem.

O que os professores da faculdade mais cobram?

Os professores cobram sobre as principais estruturas das plantas, a parte histologia das plantas vasculares com sementes (gimnospermas e angiospermas): meristemas, parênquimas, tecidos de sustentação, tecidos de revestimento, tecidos de condução e estruturas secretoras, a estruturação dos órgãos vegetais: raiz, caule, folha, flor, fruto e semente, sobre as estruturas dos gametófitos feminino e masculino e sobre a embriogênese. Em geral ocorre a apresentação de um seminário, que pode se individual ou em grupo, conforme definido pelo professor, com temas relacionados à disciplina, mas podem ocorrer mudanças nas formas de avalição a cada novo período.

Conclusão

Entender sobre as estruturas das plantas, com e onde ocorrem os processos envolvidos na organização e disposição dos tecidos na planta a caracterização estrutural da célula vegetal é o básico que se precisa absorver da disciplina, pois é muito importante para estudos posteriores e também para a formação de um modo geral de um Biólogo.

Maria Isabel, graduanda de Ciências Biológicas da UFSJ.



 

Veja também:

CURSOS NAS ÁREAS:

  • Exatas
  • Humanas
  • Biológicas

© 2016-2017   |   faculdades.inf.br   |   Em Jesus Cristo nós confiamos