Disciplinas de Cursos Superiores

Análises das matérias de cursos superiores escritas por estudantes universitários e graduados das universidades: USP, UFMG, UNIP, UERJ, UFJF, UFOP, UNIFESP, Unigranrio, PUC-SP, UFSC, Fatec-SP, UFABC, UFF, UFPI, ULBRA, entre outras.


Instalações Prediais Elétricas. Faculdade de Engenharia Civil



Introdução

A matéria Instalações Elétricas Prediais é uma das matérias com aplicação prática na vida profissional do engenheiro civil, diferentemente de matérias como Física e Cálculo, que são matérias de base. Neste momento da graduação, toda aquela grade curricular de Física e Matemática será aplicada de modo prático e bem mais simples que derivadas e integrais. Aqui se aplicam algumas leis da Física sobre eletricidade como: cálculos de potência, corrente elétrica, resistência, entre outros. Neste momento do curso,alguns conceitos aprendidos nos primeiros períodos da faculdade serão aplicados. O objetivo final desta disciplina é aprender todos os conceitos relacionados à elétrica para se desenvolver um projeto elétrico que possa ser executado em obra com segurança.

Opinião sobre a matéria

Essa é sem dúvida, uma das matérias mais importantes da grade curricular de Engenharia Civil, pois o profissional depois de formado pode atuar na área de projetos elétricos e também na execução de obras residenciais, prediais e comerciais. É importante salientar que o engenheiro civil pode projetar e executar apenas projetos elétricos de baixa tensão, conforme resolução do Confea. É limitado a potência máxima instalada de até 75 kVA nos projetos de Baixa Tensão. Pelo fato de o engenheiro civil ser limitado a projetos de Baixa Tensão, esta é uma matéria relativamente tranquila, cujos cálculos de dimensionamento são simples de se realizarem, juntamente com a elaboração e consulta de quadros e tabelas. O desafio é conhecer e seguir todos os preceitos da Norma Técnica NBR 5410.

O que se estuda na matéria

O aluno irá estudar inicialmente a geração, transmissão e distribuição de energia elétrica. São abordados conceitos de como a energia é gerada, fontes e tipos de energia, e o caminho que ela faz até chegar às residências. É importante que o aluno relembre os conceitos aprendidos em Física: energia potencial e elétrica, carga elétrica, corrente elétrica, diferença de potencial, Lei de Ohm, ligação em série e paralelo, circuitos monofásicos e trifásicos, etc. Logo depois são ensinados os conceitos do projeto elétrico: todos os detalhes das instalações, pontos de utilização de energia, cargas dos circuitos, aparelhos eletrônicos, símbolos utilizados, etc. Uma das etapas mais agradáveis do projeto é a distribuição de pontos de iluminação e tomadas na planta baixa. Após essa distribuição, são calculadas as cargas, a corrente elétrica e a potência instalada. A etapa seguinte do projeto é o dimensionamento dos condutos e cabos. São também estudados os cálculos do fator de demanda, o dimensionamento dos eletrodutos, dimensionamento da instalação telefônica, aterramento, levantamento de materiais, entre outros.

Como são as aulas?

As aulas são teóricas, mas contém muitos exercícios para a consolidação do aprendizado e sempre se consulta a norma técnica. Com o passar do curso, o aluno vai aprendendo o passo-a- passo de todas as etapas do projeto elétrico. O professor pode avaliar o aluno através dos cálculos propostos, das normas regulamentadores e pode ainda, no fim do curso, pedir para os alunos apresentarem um projeto elétrico completo com a prancha do desenho desenvolvido em software e o memorial de cálculo.

Quais são as dificuldades?

Uma das principais dificuldades dos alunos é quando se trata dos conhecimentos prévios de alguns conceitos de elétrica. Outra dificuldade apontada é o desenvolvimento do projeto elétrico em software, uma vez que em sala de aula tudo é feito manualmente. É interessante salientar que a faculdade pode e deve ensinar os alunos a projetar em softwares, mas o mais importante é formar um profissional que sabe o que está fazendo, que sabe como calcular e não apenas apertar botões de programas.

Conclusão

Como dito anteriormente, é uma das matérias mais importantes do curso de Engenharia Civil, principalmente para aqueles que querem atuar no mercado da construção civil. Como recém-formado, o engenheiro já pode desenvolver projetos elétricos de Baixa Tensão sem dificuldades, juntamente com outros projetos complementares.

Uma dica que vale a pena seguir é aprender desde cedo a compatibilizar o projeto elétrico com os outros projetos para que não haja nenhuma interferência entre eles. Infelizmente, isto é algo que não se prende na faculdade, mas é de extrema importância e evita muita dor de cabeça. Na execução de obras, muito prejuízo e retrabalho pode ser evitado com esta simples atitude de compatibilizar e revisar todos os projetos conjuntamente antes deles irem para as mãos do executor. Esta é uma das principais responsabilidades do projetista. E quanto ao executor, cabe saber ler bem os projetos e estudá-los bem antes de iniciar a obra.

Viviane Alves, Engenheira Civil pelas Faculdades Integradas do Norte de Minas



 

Veja também:

CURSOS NAS ÁREAS:

  • Exatas
  • Humanas
  • Biológicas

© 2016-2017   |   faculdades.inf.br   |   Em Jesus Cristo nós confiamos