Disciplinas de Cursos Superiores

Análises das matérias de cursos superiores escritas por estudantes universitários e graduados das universidades: USP, UFMG, UNIP, UERJ, UFJF, UFOP, UNIFESP, Unigranrio, PUC-SP, UFSC, Fatec-SP, UFABC, UFF, UFPI, ULBRA, entre outras.


Curso superior de Engenharia Elétrica: Eletrônica



A eletrônica pode ser subdividida em eletrônica 1 e 2, ou ainda em eletrônica básica e aplicada. Além disso em outros cursos são divididos em um período para teoria e outro só para laboratório. No meu caso foi eletrônica 1 no sexto período e eletrônica 2 no sétimo, ambas com aulas prática e teóricas. Este assunto é de vital importância na formação de um profissional da engenharia elétrica, isso porque mesmo que não pretendamos lidar com circuito eletrônicos em nosso dia a dia profissional, ter este conhecimento ajuda-nos a entender problemas que surgem quando lidamos com aparelhos movidos a energia elétrica, estes que estão em todos os ramos desta engenharia.

O que é?

A eletrônica estuda tudo sobre os circuitos e os componentes eletrônicos. Assim, nós aprendemos não só como um circuito funciona, mas também porque acontecem alguns dos principais problemas. Em eletrônica 1 nós estudamos sobre semi-condutores, diodos, transistores, e suas aplicações em vários tipos de circuitos. Já em eletrônica 2 o nosso foco está nos amplificadores operacionais e nos filtros ativos, além de suas aplicações.

As aulas são divididas em teóricas e práticas de modo a nos ensinar os conceitos sobre o funcionamento dos circuitos com os componentes analisados. As aulas teóricas nos fazem entender o porquê de os componentes analisados serem usados nas suas aplicações mais comuns, e as aulas práticas nos mostram como montar estes circuitos e o mais importante, como lidar com erros que sempre acontecem na prática.

As avaliações foram em sua maioria teóricas, onde nós deveríamos ora projetar os parâmetros de um circuito específico, ora calcular os resultados em corrente e tensões em pontos importantes de um dado circuito, ou ainda desenhar formatos de onda que um circuito tem em sua saída. Em ambas as disciplinas houveram trabalhos finais práticos para demonstrar o que foi aprendido nas aulas práticas. Em nosso caso nós tivemos a liberdade de escolher o tema desses trabalhos, mas dependendo do professor pode ser um tema único para todos os grupos.

Quais as dificuldades?

Nas aulas teóricas a maioria de nós não teve grandes dificuldades, principalmente porque a maioria dos conceitos são simples e os cálculos também. O que era um pouco mais trabalhoso para mim era prever as formas de onda nas saídas dos circuitos e em alguns pontos estratégicos. Mas isso foi resolvido ao estudar melhor sobre o funcionamento dos componentes nos circuitos mais analisados em sala, assim foi possível prever o comportamento deles em outros circuitos mais complexos.

Já nas aulas práticas a grande dificuldade para toda turma foi em resolver os problemas que sempre apareciam ao montar o circuito já analisado em sala. Tais problemas podem ser um resultado que não era o desejado ou ainda não haver nenhum resultado, na maioria das vezes o que acontecia era mau contato entre os componentes, outras vezes eram os componentes que estavam estragados, ou ainda os aparelhos de medição que estavam com defeito.

E nas avaliações, geralmente não haviam grandes dificuldades, já que os conceitos não eram muito complexos e os cálculos eram muito simples. Somente no trabalho final que a maioria de nós teve problemas já que nem sempre o que esperado pela teoria e comprovados pelos cálculos e as simulações era o que realmente acontecia em nossos projetos, assim iniciava um estudo prático para encontrar os possíveis defeitos, como aqueles vistos em sala. Muitas vezes componentes precisavam ser trocados para que o resultado final fosse o mais próximo do esperado.

Quais as aplicações?

As aplicações são inúmeras, não só para aqueles que irão seguir com ênfase na eletrônica, mas também para as outras áreas da engenharia elétrica. Assim, por exemplo, para a área de comunicação é possível aplicar os filtros que aprendemos a fazer em eletrônica 2, eles são essenciais para transmissão de áudio. Inclusive os filtros são também muito usados na área de sistemas de potência devido às harmônicas, muito comuns em qualquer SEP.

Conclusão

Desse modo nós podemos inferir a grande importância deste assunto em nossa formação, já que mesmo para aqueles que terão ênfases em outras áreas, estas disciplinas ensinam os principais problemas que podem ocorrer nos diversos circuitos eletrônicos, dando assim uma visão mais abrangente a estes profissionais. Além disso nos ajuda a ter uma maior experiência em lidar com os componentes mais usuais atualmente.

Stefani Silva dos Santos, aluna na UFOP



 

Veja também:

CURSOS NAS ÁREAS:

  • Exatas
  • Humanas
  • Biológicas

© 2016-2017   |   faculdades.inf.br   |   Em Jesus Cristo nós confiamos