Disciplinas de Cursos Superiores

Análises das matérias de cursos superiores escritas por estudantes universitários e graduados das universidades: USP, UFMG, UNIP, UERJ, UFJF, UFOP, UNIFESP, Unigranrio, PUC-SP, UFSC, Fatec-SP, UFABC, UFF, UFPI, ULBRA, entre outras.


Faculdade de Veterinária: Ornitopatologia



Essa disciplina ocorre no ciclo profissional da faculdade de medicina veterinária, geralmente no 8º período.

É uma disciplina com conteúdo específico, muito importante e integrado a avicultura (disciplina que estuda a criação das aves em cativeiro para produção de carne para consumo).

Conceito

É a ciência que estuda e pesquisa sobre as doenças das aves.

Tópicos estudados em Ornitopatologia

O conteúdo programático da disciplina envolve: Etiologia, epidemiologia, sintomas clínicos, diagnóstico clínico, achados anatomopatológicos, tratamentos, normas de biossegurança, controle e profilaxia das doenças infecciosas, parasitárias, tóxicas, metabólicas e nutricionais das aves.

Os tópicos estudados são:

  • Introdução a Disciplina: Avicultura industrial, Panorama mundial, brasileiro e estado da criação e comércio envolvido com a avicultura de corte e postura; Sistemas de criação: equipamentos e instalações; Tipos de criação e Manejo; Manejo de cama e dejetos; Controle de moscas; Métodos de vacinação; Coleta de amostras biológicas e técnica de necropsia; E os Programas Nacionais de Sanidade Avícola.
  • Doenças bacterianas: Salmoneloses aviárias, Colibaciolose aviária, Estafilococcose e estreptococcose aviária, Clostridioses em aves, Coriza infecciosa, Paustereloses ou cólera aviára e Micoplasmose.
  • Doenças virais: Doença de marek, Leucose aviária, Reticuloendoteliose, Doença de Newcastle, Influenza aviária, Bronquite infecciosa das galinhas, Doença infecciosa da bolsa de fabricio – dib, Bouba aviária, Sindrome da queda de postura (EDS-76), Anemia infecciosa das galinhas, Encefalomielite aviária e Reoviroses (síndrome da má absorção, artrite viral).
  • Doenças fúngicas, micotoxicoses e doenças tóxicas: Micotoxicoses e Aspergilose.
  • Doenças parasitárias: Coccidiose, Crisptosporidiose aviária, Endoparasitose, Ectoparasitoses e Artrópodes importantes para a indústria avícola.
  • Doenças metabólicas e nutricionais: Síndrome ascética, Síndrome da morte súbita e Discondroplasia tibial.
  • Doenças dos avestruzes e perus: Doenças dos avestruzes, Doenças respiratórias em perus; E Doenças entéricas em perus;
  • Manejo Sanitário: Biossegurança e qualidade de criações avícolas; Normas sanitárias de controle de granjas e incubatórios; Calendário sanitário das granjas; E Programas de vacinas e vacinações.

Metodologia de ensino

A disciplina é ministrada em aulas teóricas e práticas. As aulas teóricas dispõem de muito conteúdo audiovisual (multimídia) e as aulas práticas envolvem as técnicas de necropsia e de pesquisa de achados macroscópicos no “post mortem”.

Dificuldades no estudo da matéria

A grande dificuldade do curso, para mim, foi lidar com as aves. Embora já tivesse intimidade com galinhas, e até ter visto minha mãe e avó matarem várias para o consumo doméstico, quando chegou a minha vez no curso de sacrificar uma delas eu confesso que travei. Não tive coragem. O professor ensinando a técnica de torcer a cabeça rapidamente para um sacrifício humanizado, mas nem todos tiveram a coragem de fazer. Mas a experiência foi importante.

Também ressalto a falta de afinidade com o assunto, que só hoje com mais maturidade vejo que perdi boas oportunidade profissionais se tivesse tido mais interesse pela disciplina.

O que os professores costuma cobrar

Nas provas da disciplina os professores costumam cobrar muito as doenças infecciosas, que são de suma importância para a produção avícola, bem como para a sanidade animal e humana. Geralmente são questões discursivas que envolvem tanto raciocínio na forma de casos clínicos como alguma memorização de conteúdo (que geralmente é passado em forma de dica durante as aulas, então é melhor não faltar a nenhuma).

Conclusão

Confesso que para quem não se interessa por aves, é uma disciplina meio enfadonha.

Mas considerando que o Brasil é atualmente o segundo maior produtor e o maior exportador de mundial de carne de frango, representa uma boa área de atuação para os futuros profissionais veterinários.

Por isso é importante reconhecer a importância das enfermidades que acometem as aves domésticas e o impacto dos riscos das doenças emergentes de grande difusão, bem como o papel que as afecções exercem na Medicina Veterinária preventiva visando a saúde humana.

Principalmente sabendo que já algumas doenças são zoonoses, como a gripe aviária causada pelo vírus influenza (H5N1 e, mais recentemente, o H7N9). Já houveram problemas no passado houveram casos e recentemente corremos o risco de ter uma nova pandemia. É importante conhecer os riscos e ficar atento.

Ana Carolina Braga. Graduada em Medicina Veterinária pela Universidade Federal Fluminense. Facebook: https://www.facebook.com/anacarolinabbraga



 

Veja também:

CURSOS NAS ÁREAS:

  • Exatas
  • Humanas
  • Biológicas

© 2016-2017   |   faculdades.inf.br   |   Em Jesus Cristo nós confiamos