Disciplinas de Cursos Superiores

Análises das matérias de cursos superiores escritas por estudantes universitários e graduados das universidades: USP, UFMG, UNIP, UERJ, UFJF, UFOP, UNIFESP, Unigranrio, PUC-SP, UFSC, Fatec-SP, UFABC, UFF, UFPI, ULBRA, entre outras.


Fundamentos Psicológicos da Educação. Faculdade de História



Fundamentos Psicológicos da Educação (ou apenas Psicologia da Educação) é uma disciplina obrigatória nos cursos de licenciatura em História e visa entender o processo de subjetivação dos alunos. A partir da leitura de bibliografia selecionada, os estudantes devem pensar quais são os agentes que intervém na aprendizagem, como o ambiente escolar, os professores e a cultura na qual está inserida a instituição.

O que é a matéria?

O processo de aprendizagem é cercado por diversas discussões sobre as melhores teorias de construção do conhecimento e recursos materiais a serem utilizados. “O que fazer para que os alunos aprendam?” é uma pergunta que permeia as disciplinas de Didática e Metodologia do Ensino de História, que estão preocupadas com os agentes que interferem na educação no interior da escola. Na grade curricular, Psicologia da Educação está entre as duas e, diferentemente delas, procura pensar este processo a partir das suas intersecções com a sociedade, trazendo a influência dos aspectos exteriores.

Por isso, provavelmente você não lerá autores tratando de educação em si, mas problematizando comportamentos que estão presentes na sociedade em geral. O objetivo da matéria é pensar como eles se dão dentro da escola e quais especificidades apresentam neste ambiente. Afinal, qual é o papel do ambiente escolar para o corpo social? Por que, obrigatoriamente, todos devem passar por ela em algum momento da vida?

Quando cursei a disciplina, os autores lidos foram Friedrich Nietzsche, Michel Foucault e Gilles Deleuze. Apesar de ser uma matéria de Psicologia, todos os autores são filósofos, pois em seus trabalhos também estiveram preocupados sobre como as normas sociais interferem no agir do indivíduo e na formação do nosso livre-arbítrio, pensando como ocorre o nosso processo de subjetivação. A compreensão destas obras pode ser difícil, por isso é imprescindível que você faça as leituras previamente e leve suas dúvidas para o professor.

Um assunto discutido em sala de aula, por exemplo, foi a indisciplina. Ela é o motivo número um de reclamações dos professores como um problema para a aprendizagem. Em Psicologia, começamos a pensar este comportamento como algo natural.

A instituição escolar é o primeiro lugar em que o indivíduo possui uma vivência social fora do seu âmbito familiar, que é o local onde aprendemos crenças e valores. Em uma sala de aula, temos uma dezena de alunos com trajetórias próprias e que se comportarão de formas diferentes frente às ações e falas do professor, o “agente que representa a sociedade”, mas que também não deixa de ser um indivíduo. Assim, entre a “norma” e o subjetivo de cada um, as tensões e resistências são naturais e esperadas. A nós, futuros professores, cabem a tarefa de pensarmos como podemos lidar e dialogar com esta situação.

Por outro lado, este cenário também reforça o papel da escola em promover assuntos que estão presentes na sociedade, mas que geralmente não são abordados no âmbito familiar. Sendo um espaço onde os alunos vão encontrar pessoas e ideias diferentes, conflitos acontecerão. A educação deve ser promotora de discursos em relação à diversidade e tolerância.

Estágio

Como o foco da disciplina é o estudo comportamental dos estudantes, pensando as intersecções entre os ambientes escolar, familiar e social do indivíduo, os professores aceitam que os estágios sejam realizados em qualquer período escolar, inclusive na educação infantil.

No meu curso, tivemos que escolher algum indivíduo que ainda frequentasse a instituição escolar (podendo ser alguém do nosso circulo pessoal) para realizar uma entrevista. A partir das leituras e discussões feitas em sala de aula, criamos um roteiro de perguntas para serem feitas a fim de utilizá-lo como objeto de estudo.

Foi uma experiência interessante, pois pudemos aplicar as discussões teóricas na prática, reconhecendo os embates entre os aspectos normativos e individuais em pessoas próximas a nós, tornando o conhecimento mais palpável a nossa realidade.

Conclusão

No curso de Licenciatura, a disciplina de Fundamentos Psicológicos nos traz reflexões a cerca das intersecções entre o ambiente escolar e a sociedade em que está inserida. Ao terminar o curso, você terá uma perspectiva mais complexa do processo de aprendizagem e do seu papel como professor, um agente do conhecimento, mas também um interventor social.

Ana Paula Santana Bertho, graduanda em História pela Universidade de São Paulo.



 

Veja também:

CURSOS NAS ÁREAS:

  • Exatas
  • Humanas
  • Biológicas

© 2016-2017   |   faculdades.inf.br   |   Em Jesus Cristo nós confiamos