Disciplinas de Cursos Superiores

Análises das matérias de cursos superiores escritas por estudantes universitários e graduados das universidades: USP, UFMG, UNIP, UERJ, UFJF, UFOP, UNIFESP, Unigranrio, PUC-SP, UFSC, Fatec-SP, UFABC, UFF, UFPI, ULBRA, entre outras.


Microprocessadores e Microcontroladores. Faculdade de Engenharia Elétrica



Esta matéria na faculdade pode ser obrigatória ou eletiva, depende se o curso de engenharia elétrica tem objetivos mais gerais ou específicos para a formação dos alunos. No meu caso ela é obrigatória e é ministrada no sétimo período. Ela, como o próprio nome diz, nos ensina sobre os microprocessadores e os microcontroladores, assim geralmente depende de conhecimentos específicos em linguagem assemble e sobre arquitetura de computadores. Além disso nos dá conhecimento para seguir em outras matérias que tenham foco em eletrônica embarcada, domótica, entre outras.

O que é?

Como já dito na introdução, nós estudamos a fundo sobre os microprocessadores e os microcontroladores, em determinados casos isso significa estuda-los de maneira genérica, mas em meu curso nós estudamos alguns modelos específicos. Assim nós vimos o SAP1, o 8085 e o PIC, todos de modo a entender tanto o modo como funcionam internamente como para saber como usá-los em aplicações práticas.

Assim as aulas foram em sua maioria teóricas para os dois primeiros modelos estudados, já que ambos são muito antigos, e no caso do SAP 1, este nem existiu realmente, sendo apenas um modelo para facilitar o nosso entendimento do funcionamento de um microprocessador. Logo nestes dois casos nós tínhamos apenas simuladores em nossos computadores, o que foi satisfatório já que não seria necessário o uso deles na realidade. Já para o último tópico, sobre o PIC, nossas aulas foram bastante prática para que tivéssemos um grande entendimento desse microcontrolador tão importante em nossa atualidade.

Seguindo este rumo, as avaliações foram teóricas para podermos demonstrar nosso conhecimento do modo como estes componentes se comportam de acordo com as instruções que passamos a eles. Houve também um trabalho final que podia ser somente um seminário sobre determinado microcontrolador da atualidade ou caso o grupo desejasse poderiam também exibir uma aplicação prática deste componente para a turma.

Quais as dificuldades?

Em relação às dificuldades nas aulas teóricas, para a maioria de nós foram poucas, já que o conteúdo não é muito complexo, somente é extenso e difícil de memorizar todos os detalhes.

Já nas aulas práticas, como a maioria foi em simuladores, as dificuldades estavam relacionadas a conseguir olhar para o programa e imaginar como seria se estivéssemos com o componente de verdade em nossas mãos. O que não ocorreu nas aulas práticas sobre o PIC, que foram muito esclarecedoras sobre o funcionamento e aplicações do mesmo em problemas de nossa atualidade.

Quais as aplicações?

As aplicações são quase infinitas atualmente, isso porque estamos vivendo em um mundo onde praticamente tudo está sendo conectado à internet. Assim a domótica é uma das aplicações mais interessantes dos microcontroladores, pois nos permite automatizar tarefas rotineiras de nossas residências, e ainda controlá-las através da internet.

Assim as aplicações particularmente interessantes são aquelas que utilizam um microcontrolador chamado Arduíno, que devido à sua potencialidade e custo relativamente baixo é usado em inúmeras aplicações tanto em domótica, como na automação industrial. Além dele existem outros mais complexos, que são quase um microcomputador, como é o caso do Raspberry PI. Este componente é usado para fins que exigem um grande poder de processamento, mais comuns em industrias. Assim, mesmo ele sendo de um valor mais alto quando comparado ao Arduíno, ainda tem um excelente custo-benefício na automação industrial.

Além disso, outros microcontroladores tem ganhado espaço como é o caso do ESP8266, este que inicialmente era utilizado apenas como módulo auxiliar do Arduíno dando ao conjunto a possibilidade de conexão Wi-Fi, atualmente é extensivamente usado sozinho, ou seja, como o micrcontrolador responsável pelo processamento de dados do conjunto em que está conectado. Isso porque além de possuir a capacidade de conexão Wi-Fi, o ESP8266 também tem um custo irrisório, se comparado aos outros microcontroladores com capacidade de processamento similar, e por isso está sendo descoberto por muitos projetistas de circuitos e hobbistas.

Conclusão

Portanto podemos notar como esta disciplina é importante para a formação de um engenheiro eletricista, mesmo que este não siga a ênfase em eletrônica, que é a que realmente estuda os circuitos com microprocessadores e microcontroladores a fundo. Isso porque em nossa atualidade cada vez dependemos desses componentes, os mesmos já são encontrados em nossos aparelhos eletrodomésticos, eletrônicos em geral, e em alguns casos até em nossas roupas, tudo para nos conectar cada vez mais, na chamada internet das coisas.

Stefani Silva dos Santos, aluna da UFOP.



 

Veja também:

CURSOS NAS ÁREAS:

  • Exatas
  • Humanas
  • Biológicas

© 2016-2017   |   faculdades.inf.br   |   Em Jesus Cristo nós confiamos