Disciplinas de Cursos Superiores

Análises das matérias de cursos superiores escritas por estudantes universitários e graduados das universidades: USP, UFMG, UNIP, UERJ, UFJF, UFOP, UNIFESP, Unigranrio, PUC-SP, UFSC, Fatec-SP, UFABC, UFF, UFPI, ULBRA, entre outras.


Curso superior de Engenharia Elétrica: Eletromagnetismo



O eletromagnetismo faz parte de todos os currículos de engenharia elétrica, e até de outras engenharias como a engenharia de computação. Como seu nome diz, ela estuda os fenômenos eletromagnéticos e suas aplicações na engenharia. Para muitos de nós é uma das três matérias mais difíceis do curso, junto com as outras duas relacionadas às máquinas elétricas. Além disso ela é obrigatória, pois contém os conceitos que são a base para praticamente todas as áreas da engenharia elétrica. No meu caso, esta disciplina pertence aquelas ministradas no quinto período do curso.

O que é?

Como já dito na introdução esta matéria nos ensina tudo sobre os fenômenos eletromagnéticos. Assim, ela possui conceitos bastante complexos que nos exigem uma mínima capacidade de abstração, já que muitos desses fenômenos provocam efeitos observáveis, mas os fenômenos em si podem ser apenas idealizados.

Assim, muitas das suas aulas são teóricas, e em alguns casos, como o do meu curso, tais aulas são apenas teóricas. Tal fato torna o aprendizado ainda mais trabalhoso, pois precisamos nos contentar em usar a imaginação para aprender como funcionam os fenômenos eletromagnéticos. Por isso, muitos de nós focamos apenas nos exercícios de livros, o que infelizmente torna nosso aprendizado mecânico e muitas vezes defeituoso.

Em vista disso, as avaliações são em sua maioria teóricas, mas os professores algumas vezes ajudam aos alunos nos passando trabalhos para dividir os pontos, já que as provas abrangem muitos conteúdos complexos com questões que demandam um grande tempo para serem resolvidas, assim muitos de nós acabam por tirar notas insuficientes. Assim os trabalhos podem envolver uma aplicação prática do eletromagnetismo, seja na forma de uma pesquisa de artigos ou ainda de um protótipo de máquina simples.

Quais as dificuldades?

As dificuldades existem e são muitas. Nas aulas teóricas temos uma carga muito grande de conceitos que precisam ser abstraídos, principalmente porque a base das teorias envolve vetores, assim não basta apenas fazer muitos cálculos sem saber as direções e sentidos das forças envolvidas. Desse modo é preciso grande atenção durante estas aulas e de um grande tempo dedicado também fora de sala de aula.

Já em relação as avaliações nosso grande medo é relacionado ao tempo para conseguir fazer todas as questões, pois as mesmas tendem a demandar raciocínio em conjunto a habilidades em resolver cálculos matemáticos rapidamente. Contudo muitos de nós demoram um certo tempo até entender o que realmente era pedido na questão, daí até conseguir finalizar os cálculos que nos deem uma resposta aparentemente satisfatória muito tempo já se passou, e acabamos por deixar questões sem fazer ou incompletas. Assim precisamos estudar para as avaliações treinando não só o nosso raciocínio, mas também a nossa rapidez em resolver cálculos muitas vezes complexos que envolvem resoluções de integrais trigonométricas em diferentes coordenadas (esféricas, polares ou retangulares).

Quais as aplicações?

Em praticamente todas as ênfases da engenharia elétrica existe ao menos uma aplicação que envolve diretamente os conceitos do eletromagnetismo. Um exemplo na área da comunicação são os celulares, que se comunicam a partir de ondas eletromagnéticas. Outro exemplo que ganhou visibilidade recentemente são os trens de levitação magnética, que levitam e deslocam-se devido as forças de atração e repulsão magnéticas entre o próprio trem e os trilhos. Um exemplo também muito comum em nossas vidas é o forno micro-ondas, ele funciona gerando ondas eletromagnéticas na mesma frequência de ressonância das moléculas de água, logo qualquer corpo que tenha água em sua composição se aquece quando dentro deste aparelho.

Um exemplo muito interessante é a transmissão de energia elétrica sem fio, que foi investigada pela primeira vez por Nicola Tesla, um dos maiores gênios da engenharia elétrica. Esta técnica é baseada na indução magnética, onde um circuito fonte seria capaz de gerar ondas eletromagnéticas que induziriam tensão elétrica em um circuito receptor, tudo isso depende também da ressonância entre estes circuitos. Tal tecnologia já existe e está em fase de experimentos para aprimoramentos.

Conclusão

Portanto nota-se que esta disciplina envolve muitos conceitos indispensáveis à formação de um bom engenheiro eletricista, já que nos ensina não só tópicos base para outras disciplinas como máquinas elétricas, mas também pode ser usada elas mesma para produzir aplicações. Além disso ela também aumenta nossa capacidade de raciocinar e calcular problemas complexos, fato que é extremamente útil em nossa vida acadêmica.

Stefani Silva dos Santos, graduanda de Engenharia Elétrica na UFOP.



 

Veja também:

CURSOS NAS ÁREAS:

  • Exatas
  • Humanas
  • Biológicas

© 2016-2017   |   faculdades.inf.br   |   Em Jesus Cristo nós confiamos