Disciplinas de Cursos Superiores

Análises das matérias de cursos superiores escritas por estudantes universitários e graduados das universidades: USP, UFMG, UNIP, UERJ, UFJF, UFOP, UNIFESP, Unigranrio, PUC-SP, UFSC, Fatec-SP, UFABC, UFF, UFPI, ULBRA, entre outras.


Faculdade de Jornalismo: Ciências Sociais



Ciências Sociais: qual a finalidade de estudar?

O que é jornalismo se não a prática de observar a realidade e escrever sobre ela em discurso pautado na linguagem referencial? Os fatos que acontecem e são noticiados têm ocorrência dentro de uma determinada comunidade, que por sua vez, está inserida em um contexto maior e mais abrangente, que é a sociedade.

O objetivo de inserir Ciências Sociais na grade curricular do curso de jornalismo foi fazer compreender que há muitas construções da realidade humana e de muitos os aspectos sociais apresentados que merecem ser estudados mais detalhadamente.

Certamente, como explicado ao longo das aulas, cabe ao jornalismo noticiar acontecimentos importantes, por isso quanto mais o profissional tiver conhecimento de Ciências Sociais mais ele irá entender a questão histórica, econômica e cultural por detrás dessas ocorrências jornalísticas.

Entendi que como o curso de comunicação social com habilitação em jornalismo trata-se de estudo na área de humanas, ter conhecimentos das Ciências Sociais faria um grande diferencial na cobertura de matérias policiais, econômicas e culturais. Afinal, essas áreas refletem como está a sociedade e como ela passa por implicações através de tudo que o homem realiza.

Como estudei

Ao longo do semestre em que a disciplina foi lecionada se discutiu mais os pensadores das Ciências Sociais, já que a questão de um método eficaz para fazer pesquisa na área ainda é uma celeuma. Com o método quantitativo fica complicado empreender um estudo sobre a sociedade e o homem, pois é uma relação que não tem como ser traduzida em números e porcentagens.

Por se tratar de levar em consideração aspectos históricos, econômicos e culturais, que carregam suas características específicas em cada sociedade, só mesmo por meio do método qualitativo é possível se projetar uma pesquisa em Ciências Sociais voltada para uma real compreensão de algo tão mutável como a vivência humana em sociedade.

As atividades passadas em sala eram um verdadeiro convite ao pensar, pois contextualizavam os teóricos com os tempos atuais, principalmente pegando como exemplo fatos jornalísticos sobre fatos policiais e sociais que possuem fortes enfoques das ciências sociais.

Avaliações

Para avaliar os alunos eram aplicados provas objetivas e seminários, oportunidade em que eram expostos todos os conhecimentos aprendidos. As provas objetivas eram de múltipla escolha e eu, particularmente, não conseguia ter bons resultados nessa avaliação porque como as opções eram muito semelhantes tornou-se comum eu me confundir e assinalar a errada.

Já nos seminários, eu conseguia obter as minhas notas mais elevadas na matéria porque era a avaliação em que conseguia usar a minha capacidade de interpretação para expor os conhecimentos sobre o tema do seminário.

Recordo-me que no seminário avaliativo da segunda unidade cabia a minha equipe falar sobre o sociólogo Marx Weber e sua influência na política atual brasileira. A princípio, citei que Weber estava entre os teóricos preferidos dos políticos Fernando Henrique Cardoso e do falecido deputado federal, Luís Eduardo Magalhães.

A influência de uma prática política aberta e flexível na interação das ideias mostra bem as ideias Weberianas nesses dois personagens da democracia. Em todas as provas, eu procurei sempre associar conhecimentos clássicos com as práticas atuais porque o que importa é entender aonde as aulas de Ciências Sociais agregam para a vida, principalmente na área profissional.

Adquirir curiosidade por outro pensador, o qual foi tema de outra equipe no seminário. Karl Marx, fundador da metodologia de pesquisa marxista, trouxe uma rica e polêmica doutrina sobre filosofia, política e economia que até a atualidade conta com seguidores das mais diversas classes sociais. Foi debatido em sala como alguns partidos políticos no Brasil, até hoje, usam das doutrinas marxistas para se apresentarem na democracia e como enxergar esses pilares na conduta dos partidários.

Émilie Durkeim também foi um dos seminários mais interessantes que assisti nas avaliações. Ele foi o teórico que mais usou das Ciências Sociais para tentar explicar o padrão da conduta humana na sociedade. Sem dúvidas, a bagagem teórica conseguida nesse estudo me fez entender a reação de muitas pessoas em seus convívios.

O que ficou?

Aprendi que as Ciências Sociais carregam em si verdadeiros universos a serem estudados, que o seu campo de estudo é vasto, tornando a leitura de suas teorias interessantes e leques abertos para compreensão das complexidades do homem na sua existência social.

Michelle de Oliveira, Graduada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Unidade de Ensino Superior de Feira de Santana (UNEF), na Bahia, com pós-graduação em Marketing Digital pela Universidade Católica Dom Bosco, no Mato Grosso do Sul.



 

Veja também:

CURSOS NAS ÁREAS:

  • Exatas
  • Humanas
  • Biológicas

© 2016-2017   |   faculdades.inf.br   |   Em Jesus Cristo nós confiamos