Disciplinas de Cursos Superiores

Análises das matérias de cursos superiores escritas por estudantes universitários e graduados das universidades: USP, UFMG, UNIP, UERJ, UFJF, UFOP, UNIFESP, Unigranrio, PUC-SP, UFSC, Fatec-SP, UFABC, UFF, UFPI, ULBRA, entre outras.


Faculdade de Engenharia Elétrica: Eletrônica Básica



Esta disciplina pode ter outras denominações, dependendo da grade de cada universidade, geralmente após ela é estudada a eletrônica aplicada. No meu caso ela foi ministrada com o nome de eletrônica 1. Ela tem como objetivo nos ensinar sobre alguns dos componentes mais utilizados na engenharia elétrica, como os diodos e os transistores.

O que é?

Ela estuda a fundo sobre a teoria dos semicondutores, que são utilizados para construir os diodos e estes são a base para os transistores. E estes componentes são utilizados em todos os ramos da engenharia elétrica, já que são capazes de realizar funções que outros, como resistores, capacitores e indutores não são capazes ou o fazem de maneira não tão eficaz.

As nossas aulas foram divididas entre teóricas e práticas, sendo a maioria prática, o que foi muito útil para aprendermos sobre o comportamento real dos diodos e transistores. Além disso descobrimos também as inúmeras aplicações práticas desses componentes. As aulas teóricas foram importantes também para aprofundar o nosso conhecimento sobre o motivo desses componentes apresentarem os comportamentos mais comuns deles.

As avaliações foram quase todas teóricas, mas nós tivemos também que fazer relatórios sobre todas as aulas práticas e tivemos um trabalho prático final. Nas provas teóricas nós tivemos que calcular parâmetros de alguns circuitos, e também demonstrar a saída, em formato de onda. Já o trabalho prático final foi um tema para todos da turma, de modo que não foi pedido um projeto de grande dificuldade.

Quais as dificuldades?

As maiores dificuldades foram nas aulas práticas, principalmente devido aos problemas comuns em circuitos que são o mau contato entre componentes, defeitos nos mesmos ou ainda defeitos nos medidores. Outro problema usual é o uso incorreto dos instrumentos de medição, um exemplo é o osciloscópio, que dependendo da marca e modelo pode ser bem mais difícil de manusear, principalmente porque nós acostumamos com um modelo simples desde o início do curso, e chegando aos períodos mais avançados algumas bancadas possuem osciloscópios mais avançados, com mais funções e de manuseio mais difícil. Assim, dedicamos algum tempo para aprender a usar estes aparelhos mais avançados, o que é bem útil, já que em nosso trabalho provavelmente teremos contato com os mais diversos aparelhos de medição, nem sempre iguais aos da faculdade, sendo muito importante ter uma maior facilidade em aprender rapidamente como manuseá-los corretamente.

O trabalho prático nos trouxe algumas dificuldades, mas como era o mesmo projeto para toda turma foi possível sanar grande parte das dúvidas com os nossos colegas, já que muitos problemas que tivemos eles também tiveram, assim aqueles que conseguiam resolver ajudavam os outros.

Conclusão

Assim é possível inferir a grande importância desta disciplina, já que a mesma nos permitiu um contato não só com os circuitos eletrônicos em si, mas também com novos equipamentos de laboratório, o que permitiu um treinamento importante para o mercado de trabalho. Além disso foi enriquecedor para a turma trabalhar em um único tema, já que todos puderam ajudar aos colegas com maiores dificuldades, e assim desenvolvemos um espirito de equipe mais forte.

Stefani Silva dos Santos, aluna da UFOP.



 

Veja também:

CURSOS NAS ÁREAS:

  • Exatas
  • Humanas
  • Biológicas

© 2016-2017   |   faculdades.inf.br   |   Em Jesus Cristo nós confiamos