Disciplinas de Cursos Superiores

Análises das matérias de cursos superiores escritas por estudantes universitários e graduados das universidades: USP, UFMG, UNIP, UERJ, UFJF, UFOP, UNIFESP, Unigranrio, PUC-SP, UFSC, Fatec-SP, UFABC, UFF, UFPI, ULBRA, entre outras.


Faculdade de Veterinária: Direitos Humanos



Acho que você deve estar se perguntando: Mas a faculdade de Medicina Veterinária não é para cuidar dos animais? Por que direitos humanos?

Pois entenda que em muito pouco tempo de faculdade nós, amantes dos animais, percebemos que, na verdade, o curso não foi criado apenas para garantir a saúde e o bem estar dos animais. Lembre-se que desde que o mundo é mundo e o ser humano surgiu na terra, ele virou o centro do planeta.

Portanto, nessa visão antropocêntrica, tudo gira em torno do homem, para servi-lo, garantir o seu bem estar.

A medicina veterinária não surgiu para o bem dos animais, pura e simplesmente. Lógico que havia essa intenção. Mas o que movia o investimento na educação profissional, e que move até hoje, é o fato de que os animais servem ao homem seja como mão-de-obra, como alimento e mesmo como companhia.

Foi o uso dos animais como alimento e o conceito de segurança alimentar que tornou a nossa profissão notável, já que se fazia necessário garantir a saúde dos animais para controlar doenças que estragavam os alimentos e contaminavam o homem, muitas vezes causando epidemias.

Portanto, os direitos humanos estão tão presentes na medicina veterinária, inclusive através de legislações e juramentos, que a despeito de muitas disciplinas que fazem falta na nossa grade curricular, existe uma apenas voltada para eles, a Deontologia.

Conceito de Direitos Humanos

Segundo a ONU (Organização das Nações Unidas): “Os direitos humanos são direitos inerentes a todos os seres humanos, independentemente de raça, sexo, nacionalidade, etnia, idioma, religião ou qualquer outra condição”, e ainda “incluem o direito à vida e à liberdade, à liberdade de opinião e de expressão, o direito ao trabalho e à educação, entre e muitos outros. Todos merecem estes direitos, sem discriminação”.

Tópicos estudados

Na disciplina de Deontologia, não estudamos só os direitos humanos. Estudamos também os direitos dos animais. É toda parte de ética (bioética) e legislação voltadas para a nossa profissão.

Em geral, vemos: Ética, cidadania e o papel da reflexão ética: pensando o outro, a dignidade da pessoa humana e os parâmetros das exigências de direitos humanos; A metodologia do estudo deontológico e as relações da deontologia com outras disciplinas; O dever moral e suas consequências; Teorias do caráter obrigatório do dever; Os caminhos da consciência Direito e Moral. Vemos também a legislação sobre a ética profissional (Resolução nº 722, de 16 de agosto de 2002, Do Código de Ética do Médico Veterinário), que também envolve muitos dos direitos humanos. Além de noções básicas sobre Responsabilidade Civil e Código de Defesa do Consumidor.

Metodologia de ensino

Em geral a disciplina envolve aulas teóricas, trabalhos de pesquisa bibliográfica, leitura e discussão de textos científicos e situações da vida real, grupos de estudo dirigido com roteiros preparados pelo professor e trabalhos individuais ou em grupo com temas previamente escolhidos.

Dificuldades no estudo

Acho que a maior dificuldade da disciplina é o choque de realidade. Saber que não é pelos animais que nos dedicamos a profissão, como pensávamos.

Então temos que mudar um pouco aquela filosofia imatura e aceitar como algo importante que fazemos em prol inclusive de nós mesmos.

Conteúdo das provas (o que os professores costuma cobrar)

Essa disciplina é muito teórica, então em geral as provas são dissertativas e complementadas com trabalhos individuais ou em grupo, envolvendo pesquisa, leitura e compreensão.

Conclusão

Embora seja duro esse confronto com a realidade da profissão, nós somos humanos. Somos humanos com mais amor pelos animais do que outros, mas também fazemos parte desse ciclo do mais forte dominando o mais fraco no nosso dia a dia. Também nos alimentamos e também temos nossos animais de companhia. E se não concordamos com a visão atual cabe a nós participar ativamente para promover a mudança. Não concordar só não basta.

Mas de fato, entender e saber dos direitos humanos só melhora o nosso desempenho profissional. E esse conhecimento é fundamental para a preservação dos direitos dos animais, inclusive. Evitando os abusos desnecessários.

Ana Carolina Braga. Graduada em Medicina Veterinária pela Universidade Federal Fluminense. Facebook: https://www.facebook.com/anacarolinabbraga



 

Veja também:

CURSOS NAS ÁREAS:

  • Exatas
  • Humanas
  • Biológicas

© 2016-2017   |   faculdades.inf.br   |   Em Jesus Cristo nós confiamos