Disciplinas de Cursos Superiores

Análises das matérias de cursos superiores escritas por estudantes universitários e graduados das universidades: USP, UFMG, UNIP, UERJ, UFJF, UFOP, UNIFESP, Unigranrio, PUC-SP, UFSC, Fatec-SP, UFABC, UFF, UFPI, ULBRA, entre outras.


Faculdade de Veterinária: Disciplina Zoonoses



Uma das disciplinas mais importantes que estudamos na faculdade. Principalmente por ser amplamente multidisciplinar e envolver conhecimentos de saúde pública, epidemiologia, patologia, entre outras.

Tanto se fala hoje em doenças emergentes e reemergentes, você sabe o que são? Na sua maioria são zoonoses. As doenças emergentes são as novas doenças, como novos sintomas e um novo agente infeccioso, já as reemergentes são doenças que já haviam sido controladas voltando a atingir os seres humanos e animais.

Mas o que são as zoonoses?

Nós estudantes sabemos que se conseguirmos desvendar a origem da palavra (etimologia), já damos um grande passo na compreensão do assunto. Portanto, a palavra zoonose é composta pelo prefixo “zoo”, que significa animal, e o sufixo “nosos”, que significa doença. Ambos de origem grega. Ou seja, literalmente pode ser entendido como doença dos animais.

O que se estuda nesta matéria?

Então é nessa disciplina que estudamos as doenças que acometem os animais, incluindo o homem. Tais doenças são ditas infecciosas, ou seja, contagiosas, transmissíveis.

São causadas por agentes infecciosos, dentre eles: vírus, bactérias, fungos, protozoários, príons, rickéttsias ou ácaros.

Podem ser classificadas em:

  • Zooantroponoses – Quando a doença é primária no homem e transmitida para os animais. O homem é o hospedeiro definitivo, onde o agente se reproduz. Como por exemplo as amebíases e esquistossomose.
  • Antropozoonoses – Quando a doença é primária dos animais e pode ser transmitida para o homem. Os animais são o hospedeiro definitivo, onde o agente se reproduz. Como exemplo a brucelose e a leishmaniose.
  • Zoonoses diretas – Nesse caso a transmissão é direta, o agente só precisa de um hospedeiro vertebrado e pode ser transmitido a outro por contágio direto ou veiculado. Como na raiva, por exemplo.
  • Ciclozoonoses – Ocorrem quando o agente infeccioso precisa de mais de um hospedeiro vertebrado para completar o seu ciclo, como nas cisticercoses ou hidatidoses.
  • Metazoonoses - O agente necessita também passar por um hospedeiro invertebrado (insetos, moluscos) para completar o seu ciclo, como na febre amarela.
  • Saprozoonoses – quando o agente precisa passar por um reservatório não vertebrado, não animal, como o solo e as plantas (ambiente|).

Como são as aulas?

São muitas as doenças a serem estudadas, acometendo várias espécies e envolvendo muito conteúdo didático. Então geralmente se estuda um tipo de doença ou grupos de doenças semelhantes a cada aula.

Quais as dificuldades que encontrei no estudo das zoonoses?

O conteúdo é muito extenso e demanda muito material para decorar. São muitos nomes de doenças, sinônimos, espécies afetadas, agentes etiológicos, sintomas, diagnósticos, métodos de tratamento e prevenção, entre outros.

Todo esse conteúdo precisa ser apendido e decorado e demanda esforço e muito tempo de estudo.

Como geralmente se estuda ao mesmo tempo 6 a 8 disciplinas por período e todas com muito conteúdo, quando mais exige da nossa memória mais desgastante é a matéria.

O que os professores da faculdade mais cobram?

Geralmente as provas são difíceis por envolverem muito material que exige a memória. São poucos os casos clínicos. Geralmente as perguntas envolvem a correlação da doença com seus sintomas, patogenia, diagnósticos, vetores, espécies afetadas, tratamento e sobretudo os nomes científicos dos agentes infecciosos.

Como esta disciplina contribuiu?

A contribuição desta disciplina tanto no desenvolvimento do curso quando da nossa vida profissional é fundamental. Claro que existem muitas outras doenças que também estudamos em outras disciplinas (doenças parasitárias, metabólicas, ou mesmo as infecciosas que não são zoonoses). Mas essa disciplina nos ensina a respeitar não só a vida dos animais, nossos pacientes, quanto a do ser humano, nossos clientes.

Por serem doenças transmissíveis entre os animais, incluindo o homem, cabe a nós enquanto profissionais da área de saúde alertar a população quanto aos riscos envolvidos e as formas de prevenção.

Garantir a saúde dos animais e, como consequência também o bem estar da comunidade, de forma geral.

Ana Carolina Braga. Graduada em Medicina Veterinária pela Universidade Federal Fluminense. Facebook: https://www.facebook.com/anacarolinabbraga



 

Veja também:

CURSOS NAS ÁREAS:

  • Exatas
  • Humanas
  • Biológicas

© 2016-2017   |   faculdades.inf.br   |   Em Jesus Cristo nós confiamos