Disciplinas de Cursos Superiores

Análises das matérias de cursos superiores escritas por estudantes universitários e graduados das universidades: USP, UFMG, UNIP, UERJ, UFJF, UFOP, UNIFESP, Unigranrio, PUC-SP, UFSC, Fatec-SP, UFABC, UFF, UFPI, ULBRA, entre outras.


Geografia da População. Faculdade de Geografia



O que é geografia da população?

No estudo da população visto pela geografia, temos uma visão geral sobre por exemplo as migrações internacionais, a questão nacional do Ocidente, sobre o Oriente Médio, etc.

O que se estuda nesta matéria?

Sobre as migrações internacionais nessa matéria estuda primeiramente que, mundialmente as migrações consistem num deslocamento de pessoas que deixam seus países de origem para outros, buscando fixar residência, legal ou ilegalmente, refletindo tensões políticas e desigualdades econômicas.

Com a globalização atual, as migrações continuam, devido às guerras nacionalistas e ao aumento da distância econômica entre os países que comandam tal processo e os subordinados. Portanto, a população em movimento é explicada pelas contradições do capitalismo, sobretudo as disparidades econômicas regionais, com pessoas buscando melhores condições socioeconômicas.

Os principais polos de emigração abrangem os países do sul subdesenvolvido e os que abandonaram o socialismo, sobretudo na década de 1980, ao passo que os principais polos de imigração abrangem os países do norte rico, notadamente da América Anglo-Saxônica e da Europa Ocidental.

Sobre a questão nacional do ocidente, historicamente, na transição do feudalismo para o capitalismo, o novo mundo apostou na tendência de integração territorial oposta ao isolamento feudal, formando um mercado consumidor para as novas elites. Assim, surgiram os Estados modernos, fato consolidado pela Revolução Francesa.

O conceito de nação é recente e, é claro, inexistente até a Idade Média, abrangendo um agrupamento social delimitado por laços culturais. O Estado, tradicionalmente, corresponde a um espaço territorial delimitado por fronteiras políticas, e é popularmente chamado de país.

Com a Revolução Francesa, a nação, como comunidade ampla de cidadãos, passou a ser organizada pelo Estado, surgindo o Estado- Nação, uma construção cultural. Portanto, a nação transforma-se numa comunidade política, um empreendimento de elites políticas que, no século XIX, unificaram povos em torno de valores, crenças, símbolos e costumes. Na história, o fato é estudado enfocando as unificações italiana e alemã.

Normalmente, um Estado é formado por várias nações, surgindo expressões como “colcha de retalhos” ou “ mosaico de etnias ”. O nacionalismo pode agregar grupos diferentes, via ideologia imposta pelo Estado, mas pode provocar fragmentação, quando uma nação menor deseja a independência, causando mudanças na cartografia com o aparecimento de novos países.

Porém, estudar o nacionalismo requer muito cuidado, pois este depende de vários fatores. Assim sendo, em alguns lugares, existem grupos étnicos-nacionais bem diferentes que convivem muito bem no mesmo Estado, ao passo que, em outras áreas, ocorrem violentos conflitos. Isso ocorre devido a fatores econômicos, envolvendo interesses das elites, ou por falta de liberdades, entre outros fatores.

Sobre o Oriente Médio, pode-se dizer que o Oriente Médio ou Ásia Ocidental ou Oriente Próximo é uma área complexa da geopolítica internacional, ocupando todos os dias espaços na mídia falada e escrita, devido aos conflitos regionais. A localização é estratégica entre três continetes: Europa, Ásia e África.

Historicamente foi ponto de partida do expansionismo árabe, entre os séculos VII e XV, além da formação do Império Otomano, entre os séculos XVII e XX. A diversidade étnica da área é explorada pela própria localização, passagem histórica entre os mundos ocidental e oriental, e complicada pelo fator religião, pois é o “berço” de três importantes religiões monoteístas: judaísmo, islamismo e cristianismo.

A região também é caracterizada pela riqueza petrolífera, o que desperta o interesse internacional, sobretudo das multinacionais, além da predominância de climas áridos que explicam a carência em recursos hídricos, geralmente disputados por países vizinhos. A exceção em relação a esse recurso está na planície da Mesopotâmia, localizada entre os rios Tigres e Eufrates, que nascem na Turquia e atravessam a Síria e Iraque.

Como são as aulas?

As aulas são expositivas com seminários de leitura de textos. É apresentado um quadro histórico das ideias de cada período mostrando as mudanças tecnológicas servindo nas transformações sociais e as transformações sociais servindo nas mudanças tecnológicas.

Quais as dificuldades que encontrei no estudo da geografia da população?

Achei uma disciplina muito agradável e quase não encontrei dificuldades.

O que os professores da faculdade mais cobram?

A leitura de textos e apresentação de seminários.

Qual a contribuição desta disciplina para meu curso superior?

Essa disciplina contribuiu muito para o meu curso superior pois aproxima de vários modos do conhecimento das ciências exatas.

Júlia Guimarães Ubiali, e-mail: [email protected] Foi uma disciplina optativa que fiz no meu curso.



 

Veja também:

CURSOS NAS ÁREAS:

  • Exatas
  • Humanas
  • Biológicas

© 2016-2017   |   faculdades.inf.br   |   Em Jesus Cristo nós confiamos